Opinião | Monalysa Alcantara e o triunfo da diversidade

Miss é hostilizada nas redes sociais, mas incômodo causará mudanças

Publicado em 25/08/2017
Monalysa Alcantara e o triunfo da diversidade

A cada vitória da diversidade, uma enxurrada de pedras e pedregulhos corre ladeira abaixo, validando que ainda é preciso combater velhos preconceitos. Em pleno ano de 2017, somos obrigados a chamar a atenção para o óbvio e, mais do que nunca, recorrer aos livros de história. Boa parte do povo brasileiro está sem memória ou deixou os escrúpulos de lado, vociferando os aspectos mais primitivos, reacionários e ocultos do seu próprio íntimo. 

Recentemente, diversos veículos de comunicação, blogueiros e youtubers deram espaço para um debate infundado sobre o nazismo ser uma ideologia de direita ou esquerda. A história ganhou uma força desproporcional em relação à capacidade da maioria de se indignar com dados e fatos da própria história: a morte de milhões de pessoas. 

As discussões políticas estão indo além das questões humanas e estamos perdendo tempo com debates sobre assuntos incontestáveis. Como é o caso de um número de pessoas que deturpam a lógica da liberdade de expressão - por completa ignorância ou índole duvidosa -  e se vêm no direito de proferir discursos de ódio e de racismo. 

A última vítima foi a atual miss Brasil, Monalysa Alcantara, a terceira vencedora negra em 60 anos de concurso. Ela vem sendo hostilizada e alvo de racismo nas redes sociais após a sua coroação. São comentários preconceituosos oriundos dos mais variados tipos de pessoa - jovens e até mais velhas. A publicitária Andrea Costa salvou os prints que mostram a consequência das diárias impunidades do meio digital.

Assim como Andrea, outras pessoas vêm expondo as identidades de racistas, misóginos e indivíduos que expressam outros tipos de preconceito, fornecendo algum tipo de punição. No entanto, os agressores, do caso de Monalysa deveriam ser levados a outras estâncias, pois praticam um crime que deixa rastros e respinga no restante da sociedade. Se há impunidade, a proliferação desse tipo de conduta preconceituosa e práticas extremas como o linchamento são, infelizmente, iminentes.

Por outro lado, no âmago de toda a situação, o incômodo causado pela vitória de mais uma miss negra trará mudanças e outras consequências positivas inimagináveis. Existe uma faceta no país que nasceu com pré-disposição para transformar a própria realidade e a dos outros. Por isso, a ascensão de cada "Monalysa" vai trazer, sim, confrontos doloridos e também a sensação de estarmos em um loop sobre a mesma discussão. Porém, a vitória inspira e marca uma geração. A esperança é que em um futuro próximo, a cada triunfo da diversidade, só colheremos flores. 

Por Mayhara Nogueira

Foto: Reprodução/Facebook Monalysa Alcantara