Opinião do Bar | "Só podia ser velho!"

Velhice não deve ser tratada como uma fase ruim

Publicado em 01/12/2016
Opinião do Bar | "Só podia ser velho!"

É comum ouvirmos a maioria das pessoas falando que têm medo de envelhecer. Pudera, são tantos os estereótipos aos quais essa fase é associada que é difícil encontrar uma maneira otimista de encará-la. Nesse período, a pessoa tende a se tornar mais debilitada e com a saúde em risco. No entanto, nem tudo está perdido (apenas o colágeno neste caso), pois existem muitas formas de prevenir doenças da idade e estimular o cérebro.

Para que isso aconteça, é importante que essas pessoas não sejam excluídas da sociedade. Elas precisam saber que fazem parte dela, e que ainda estão habilitadas a trabalhar e manter o seu ritmo de vida. A questão é que, beirando os 50 anos, elas já encontram dificuldades na hora de encarar o mercado de trabalho. E olha que o indivíduo é considerado idoso apenas após os 60 anos.

O desafio de encontrar um emprego próximo à idade de se aposentar é enorme. A pessoa que se enquadra nessa realidade e tenta uma recolocação dificilmente a encontra ou, pelo menos, não tão rapidamente. Isso a incentiva a se transformar em um consultor ou treinador, por exemplo, pois experiência e conhecimento não lhe faltam. Em outros casos, ela decidirá abrir um negócio próprio para permanecer ativa no mercado.

No Brasil, a expectativa de vida vem aumentando a cada ano, crescendo assim o número de idosos na sociedade. Porém, as empresas aqui valorizam muito mais a força jovem, enquanto os mais velhos são vistos como incapacitados e ultrapassados, sem levar em conta a experiência adquirida. Esse cenário não acontece em todos os países, pois em muitos deles o idoso é respeitado, além de possuir papel social importante para a manutenção econômica do país. 

Exemplos disso são a China e o Japão, que tratam o fenômeno do envelhecimento como algo natural e sinônimo de sabedoria e respeito. Existem outros países que também elegem seus líderes políticos com mais idade e os mantêm por longa data. Nelson Mandela foi presidente da África do Sul aos 76 anos e permaneceu no comando até os 81. 

O idoso tem muito a contribuir em diversas áreas, inclusive naquelas que requerem medidas estratégicas e administrativas. Isso fica visível em organizações onde os cargos mais importantes normalmente são ocupados por pessoas com 60 anos ou mais. Na maioria dos casos, os profissionais envelheceram trabalhando nesta mesma empresa e ainda mantêm sua capacidade intelectual. É importante ficar claro para a sociedade que as perdas biológicas, totalmente naturais no ciclo da vida, não necessariamente irão alterar seu potencial.

O ser humano tem a necessidade de buscar algo ou alguém para depositar a culpa pelos acontecimentos que o cercam ao longo da vida. No trânsito, isso acontece com muita frequência - se você leva uma fechada brusca, quer logo ver quem estava no volante para poder descarregar a sua raiva. Se for mulher, vai logo dizendo: "Só podia ser mulher!". Se for idoso: "Só podia ser velho!" e assim por diante. Qualquer coisa é motivo para deixar jorrar o preconceito e o ódio. Todo ser humano é passível ao erro, independentemente da idade, cor ou classe social. Então, quando o problema for lidar com um idoso, apenas tente lembrar que você, talvez dentro de poucos anos, estará no lugar dele, sentindo na pele (literalmente) o que ele está sentindo.

Por Natália Lins