Nudez própria incomoda 6 em cada 10 mulheres, diz pesquisa

62% aceitam o próprio corpo, mas apenas 5% creem que ficam bem peladas

Publicado em 02/08/2017
Nudez própria incomoda 6 em cada 10 mulheres, diz pesquisa

Apesar dos avanços de campanhas de auto-aceitação e autoconfiança realizadas por coletivos feministas pelo mundo todo, mais da metade das mulheres ainda se incomoda com a própria nudez, de acordo com pesquisa da revista americana Women’s Health. A publicação entrevistou 2,7 mil mulheres nos Estados Unidos e número não divulgado em outros 19 países para chegar às conclusões.

Entre as constatações está a de que as mulheres definitivamente estão mais conscientes sobre a importância de apreciar e sentir-se bem com o próprio corpo. Contudo, a minoria está satisfeita com a sua aparência, mais precisamente só 15% dizem amar as características do próprio corpo. 

Enquanto isso, 62% das entrevistadas afirmam aceitar o seu corpo – elas podem não amá-lo, mas estão conformadas. Já 23% estão realmente infelizes com a aparência corporal. Esse resultado influi na forma como as mulheres se percebem nuas.

A maioria das entrevistadas demonstrou incômodo com a própria nudez: 65% dizem ficar melhor vestidas do que peladas. Outras 30% acreditam que ficam bem de qualquer jeito: com ou sem roupas. Apenas 5% gostam do próprio corpo a ponto de achar que ele parece melhor sem qualquer vestimenta.

Entre as nacionalidades, as latinas são as que mais se acham bonitas: 84% das entrevistadas, que pertencem a oito países diferentes. Gregas (82%) e turcas (79%) aparecem à frente das brasileiras, na quarta colocação, com 79%. As polonesas têm a pior autoestima, com 49%.

Entre os problemas apresentados, a celulite é a campeã de reclamações, incômodo para 50% das entrevistadas, seguida por pelos corporais (36%) e estrias (27%). As mulheres consultadas ainda relataram que se sentiriam melhor com o próprio corpo se fossem mais bronzeadas, de acordo com 73% das participantes. Perda de peso e autoconsciência foram outros fatores apontados. 

Foto: Pixabay