Melissa Benoist fala após saída de Andrew Kreisberg

'Voltarei a trabalhar em Supergirl ainda mais comprometida'

Publicado em 13/11/2017
Melissa Benoist  segura miniatura de Supergirl

Intérprete de Supergirl, a atriz Melissa Benoist se pronunciou nas redes sociais nesta segunda-feira (13) sobre a suspensão do produtor da série Andrew Kreisberg, acusado de assédio sexual. Reforçando o poder do seu papel no empoderamento da mulher, Melissa afirmou que tenta manter essa luta também do lado de fora das telas e que a partir dessa semana vai trabalhar mais "comprometida em ser parte da mudança".

 

❤️

Uma publicação compartilhada por Melissa Benoist (@melissabenoist) em

"Sou uma mulher que protagoniza uma série que apoia a igualdade e o empoderamento do feminismo e a luta pelo o que é certo. Sempre tentei ser assim também na minha vida pessoal. Infelizmente, a série e a minha carreira são parte de uma indústria que nem sempre reflete esses sentimentos. É doloroso e às vezes me faz sentir desamparada. Sei que não sou a única que se sente assim. Mas sou otimista. Acredito que mudanças duradouras são possíveis e que quando as pessoas são mal tratadas, elas deveriam ter mecanismos seguros para falar sobre sua verdade e sempre serem ouvidas. E quando pessoas cometem crimes ou assediam alguém, eles deveriam ser responsabilizadas - não importa em qual indústria eles trabalham ou quanto poder têm. Falei sobre isso no passado - publicamente e não tão publicamente - e continuarei a fazê-lo. Todos nós deveríamos, sem temer ou sentir vergonha. Todos nós deveríamos manter padrões mais elevados. Nesta semana, voltarei a trabalhar em Supergirl ainda mais comprometida em ser parte da mudança, ouvindo o que as pessoas têm a dizer e me recusando a aceitar um ambiente que não seja um espaço seguro, respeitoso e colaborativo". 

A atriz Emily Bett Rickards também se pronunciou. Ela, que interpreta Felicity Smoak na série Arrow, também produzida por Andrew Kreisberg, usou o Twitter para ressaltar a força das mulheres contra os assediadores.

"Aos homens que cometeram assédio, que perpetuaram a cultura do estupro, que fingiram que não viram e reclamam de 'sexismo reverso': vocês são fracos e cúmplices. Às mulheres que encontraram forças para falar. Às mulheres que apoiam umas às outras e às mulheres que estão encontrando sua voz: vocês podem. Vocês são heroínas".

Acusado de assédio por várias funcionárias, Kreisberg foi afastado pela Warner Bros. TV no sábado (11) das produções de Arrow, Flash e Supergirl.

Diretor de Mulher-Maravilha também é acusado de assédio

Mulher-Maravilha

Mais um nome envolvido com personagens empoderadoras que foi citado em denúncias de assédio sexual foi Brett Ratner, cuja empresa RatPac Entertainment faz parte da produção de Mulher-Maravilha.

Ele foi acusado de assédio por seis mulheres e ainda de pedofilia. Inclusive chegou a circular uma notícia de que a atriz Gal Gadot teria se recusado a continuar a interpretar Mulher-Maravilha caso Ratner não fosse retirado da franquia, mas a Warner negou a informação divulgada pelo portal Page Six

Fotos: Divulgação/Instagram