Livro relembra perfis de 60 feministas que mudaram o mundo

Além de nomes internacionais, publicação traz 15 brasileiras

Publicado em 05/07/2018
capa do livro amarelo e roxo, com a ilustração de três mulheres. Livro Lute Como Uma Garota: 60 feministas que mudaram o mundo

Bell Hooks, Marie Curie, Alice Walker, Malala Yousafzai, entre outras mulheres, se tornaram ícones na história por defender os direitos femininos, em diferentes áreas de atuação. As vidas delas vêm recheando livros em todo o mundo, como o recente lançamento "Lute Como Uma Garota - 60 Feministas que Mudaram o Mundo". A publicação é escrita por Laura Barcella e Fernanda Lopes, publicada pela Editora Cultrix

O livro reúne perfis biográficos de mulheres que se destacaram por seu engajamento e se tornaram referências no movimento feminista. “Para mim não foi difícil encontrar mulheres que mudaram a história. De qualquer forma, eu não acho que as mulheres em geral têm tanto prestígio, prêmios ou consagração por suas realizações quanto os homens. Historicamente, as contribuições das mulheres para a cultura foram diminuídas ou até mesmo apagadas”, diz Laura em entrevista ao site O POVO. 

livro Lute Como Uma Garota

Segundo as autoras, após uma profunda pesquisa, elas chegaram em 60 mulheres, entre elas, 15 são brasileiras - embora ainda existam centenas delas que encabeçaram mudanças valiosas. “A ideia foi selecionar mulheres que se destacaram por lutar mesmo pelos direitos da mulher de alguma forma, seja pelo voto feminino, pelo direito ao estudo ou simplesmente pelo direito de ser quem quiser, falar o que quiser e não ser condenada por isso por uma questão de gênero. A história do Brasil tem centenas de mulheres incríveis que fizeram mudanças valiosas para que pudéssemos evoluir, mas escolhemos essas pelo trabalho que fizeram e ainda fazem pelo feminismo, a equidade de gênero”, pontua Fernanda. 

Lute como uma Garota – 60 feministas que mudaram o mundo tem perfis de Beyoncé, Clarice Lispector, Angela Davis, Maya Angelou, Maria da Penha, Djamila Ribeiro, entre outras. O livro tem 368 páginas e custa R$ 45.

Foto: Divulgação/Editora Cultrix