Girl power: 7 brasileiras que se destacaram em 2017

Elas marcaram o ano com feitos inéditos e inspiradores

Publicado em 15/12/2017
Juliana Caldas sorrindo

Ainda falta muito quando o assunto é igualdade de gênero. Mas conquistas que estão abrindo caminhos para chegarmos até lá também não são poucas - e 2017 provou isso. Embora retrocessos tenham marcado o ano, diversas figuras se destacaram também, provando que todas podem ter espaço, seja na televisão, no esporte ou na política. 

O Bar de Batom separou 7 brasileiras empoderadas que marcaram o ano com feitos incríveis. Confira a lista - será que alguma delas também te inspirou nos últimos meses?

Maria Clara Spinelli

Na novela A Força do Querer, exibida entre abril e outubro de 2017 na Rede Globo, o público se encantou com a interpretação de Carol Duarte na pele da trans Ivana - que, na reta final da trama, se transformou em Ivan. Mas o que nem todo mundo sabia era que no elenco havia uma trans no papel de uma mulher: Maria Clara Spinelli. A intérprete de Mira - escudeira da vilã Irene (Débora Falabella) - fez história no horário nobre como a primeira atriz transexual a interpretar o papel de uma mulher cisgênero.

Juliana Caldas

Também na faixa nobre global, a atriz Juliana Caldas tem se destacado na nova novela, O Outro Lado do Paraíso. Anã, com 1,22 m de altura, Juliana interpreta Estela, irmã do protagonista Gael (Sérgio Guizé). Ela é a primeira anã escrita por Walcyr Carrasco para uma novela e, na trama, enfrenta o preconceito da mãe Sophia (Marieta Severo) e da sociedade com bom humor e irreverência.

Samile Bermannelli

De Salvador, a modelo Samile Bermannelli foi uma das seis modelos negras no desfile da Victoria’s Secret 2017, um dos eventos mais aguardados do mundo da moda. Considerada pela Vogue Itália como uma das 50 maiores modelos negras da atualidade, Samile se destaca com trabalhos para marcas como Elie Saab, Dolce & Gabbana, Miu Miu, Marc Jacobs e Tommy Hilfiger.

Confira os vídeos do Bar de Batom no YouTube

Thais Carla

A coreógrafa e dançarina Thais Carla se destacou em 2017 ao integrar o balé de Anitta. Ela foi uma das primeiras bailarinas plus size a ganhar notoriedade dividindo o palco oficialmente com uma cantora de grande popularidade. Thais, que já fez parte do balé do programa Legendários, da Record, ainda se destacou como modelo esse ano, posando para a marca de biquínis Cor de Jambo. Em entrevista ao Bar de Batom, a cantora frisou que "a mulher não se limita, ela é livre para fazer o que quiser!".

Margareth Shepard

Margareth Shepard é o nome da primeira brasileira eleita para um cargo político de destaque nos Estados Unidos. A goiana, que mora há 25 anos nos EUA, começou a vida no país como babá e faxineira. Hoje, ela é vereadora de Framingham, no estado de Massachusetts.

Aline Rocha

A atleta Aline Rocha será a primeira mulher do país a disputar os Jogos Paralímpicos de Inverno. Em 2018, ela irá representar o Brasil em PyeongChang no esqui cross-country. Esse ano, a esportista ainda foi vencedora do Prêmio Paralímpicos 2017 na categoria Esportes de Neve.

Tifanny Abreu

Mais um marco histórico para o esporte brasileiro neste ano foi a participação da primeira atleta transexual na Superliga de vôlei. A responsável pelo feito foi Tifanny Abreu, ponteira/oposta da equipe feminina do Vôlei Bauru. A goiana de 33 anos, que fez parte da carreira na Europa, já havia disputado a Superliga masculina no Brasil antes de fazer a transição de gênero. Esse ano, ela ganhou permissão da Federação Internacional de Voleibol para competir profissionalmente em ligas femininas e também foi regularizada pela Confederação Brasileira de Voleibol.

Foto: Divulgação/Instagram Juliana Caldas