Confira alguns métodos contraceptivos e escolha o seu

DIU, minipílula e adesivo são algumas formas de evitar a gravidez

Publicado em 18/04/2016

Você conhece todos os métodos contraceptivos disponíveis no mercado? Além da famosa pílula, que previne em torno de 99% a gravidez, existem outras formas contraceptivas, de acordo com a necessidade de cada mulher. Confira alguns desses métodos.

Pílula

É o método mais comum e com maior variação de tipos e dosagens. Toma-se uma pílula por dia durante um período de 21 dias, e, na última semana, a mulher menstrua. 

Injetável mensal e trimestral

É indicado para as mulheres que não podem ou não desejam o uso do estrogênio, pois sua base é somente de progestágeno. Já as vantagens e desvantagens são as mesmas da pílula anticoncepcional. Para os anticoncepcionais injetáveis trimestrais, existe a vantagem de serem aplicados a cada três meses, mas há a desvantagem de provocarem a ausência de menstruação no início do tratamento.

Adesivo transdérmico

Indicado para mulheres com intolerância gástrica à pílula, o adesivo é aplicado sob a pele e o corpo absorve os hormônios a partir dele. O adesivo dura uma semana, sendo renovado, portanto, 3 vezes no mês. Na última semana, há uma pausa para a menstruação descer.

Pílula de progesterona

Esse método interrompe o fluxo menstrual e diminui as cólicas, porém pode causar retenção de líquido na mulher. É indicado para quem tem intolerância ao estrogênio.

Anel vaginal

Criado nos anos 50, o método é de fácil aplicação, com menor risco de esquecimento e pouco efeito colateral. A mulher deve colocar o anel dentro do canal da vagina, lançando hormônios. Ele deve permanecer dentro do canal por 21 dias para, então, a mulher menstruar. 

Implante subdérmico

O método contraceptivo é no formato de bastonete e deve ser inserido sob a pele na parte superior do braço da mulher. Ele contém um progestogênico que é muito parecido com o hormônio natural e é liberado lentamente em doses constantes. 

Minipílula

Contém progesterona sintética e é geralmente tomada por mulheres que não podem tomar a pílula combinada por causa do estrogênio. A minipílula tem um risco menor de efeitos secundários e deve ser tomada durante os 28 dias do ciclo, sem pausa.

DIU

O DIU é feito de polietileno, com ou sem adição de substâncias metálicas ou hormonais, e exerce efeito anticonceptivo quando colocado dentro da cavidade uterina de uma mulher. É indicado para quem tem endometriose ou muito sangramento na menstruação.

Intervenção cirúrgica

Na mulher, é feita cirurgia através da ligadura ou corte das trompas, impedindo o encontro dos gametas masculino e feminino. No homem, é feita pela ligadura ou corte dos canais deferentes (vasectomia), o que impede a presença dos espermatozoides no líquido ejaculado.