Cineastas mulheres pedem cotas de gênero nos EUA

Representando apenas 10%, elas querem maior diversidade nas produções

Publicado em 11/08/2017
Cineastas mulheres pedem cotas de gênero nos EUA

Grandes produções televisivas que estão fazendo sucesso atualmente têm cineastas mulheres como suas responsáveis. É o caso das séries American Horror Story, How to Get Away with a Murder, Orange Is the New Black e Scandal.

No entanto, elas representam apenas 10% das profissionais de Hollywood, por isso decidiram reivindicar cotas de gênero para promover maior diversidade nas equipes de produção, que são predominantemente masculinas.

A decisão foi informada durante uma coletiva realizada pelo canal FX no encontro da Associação dos Críticos de Televisão americanos (TCA), que aconteceu na última quarta-feira (9), e que contou com a participação das cineastas Maggie Kiley, Gwyneth Horder-Payton, Liza Johnson, Rachel Goldberg, Meera Menon, Steph Green e Alexis Ostrander.

"Nunca quero ter que chegar a dizer que fui contratada por ser mulher, mas talvez neste momento haja a necessidade de cotas", disse Maggie Kiley, que já dirigiu episódios de American Horror Story e Scream Queens. "Se tiver que ser assim, que seja assim", completou Rachel Goldberg, que também dirigiu um episódio da nova temporada de AHS.

A Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA) divulgou um relatório sobre a diversidade na indústria, onde mostra que, embora as minorias representem 40% da população americana, ela aparecem em apenas 10% dos produtores de Hollywood. Já as mulheres representam metade da população do país, mas ocupam somente 10% das funções por trás das câmeras.

Ainda na conversa, elas contaram alguns dos obstáculos que têm enfrentado para conseguir comandar uma produção, já que precisam apresentar diversos trabalhos para ter a chance de dirigir algo, enquanto aos homens basta ter produzido um curta-metragem.

"Nós não somos iniciantes, estamos dirigindo há muito tempo. Nós precisamos apenas de alguém para nos dar a oportunidade", disse Rachel Goldberg, enquanto homenageava o produtor de séries da FX, Ryan Murphy: "Ele me confiou um episódio de American Horror Story e mudou a minha vida", afirmou.

Em 2016, Murphy e a FX lançaram o projeto Half Initiative, com o objetivo de conseguir que pelo menos metade dos produtores do canal seja de mulheres ou de minorias. Desde então, o número de diretoras mulheres aumentou de 12% em 2015 para 51% no ano passado.

"As cotas são necessárias para que as mulheres possam obter esse primeiro emprego e também mudar a cultura, para que as pessoas se acostumem a ver as mulheres como produtoras", disse Meera Menon, que já dirigiu episódios de Snowfall e Blood Drive.

Foto: Frederick M. Brown/Getty Images/AFP