Festival de música na Suécia proibirá entrada de homens

Decisão foi tomada após estupros e assédios em edições recentes

Publicado em 06/07/2017
Bravalla ganha edição só para mulheres

Pela primeira vez, o maior festival de música da Suécia, o Bravalla, contará com uma edição voltada somente para o público feminino. Será no ano que vem, e o anúncio foi feito após um dos organizadores aceitar a ideia da apresentadora de rádio e comediante Emma Knyckare, que sugeriu em seu Twitter a criação de um festival em que apenas seres ‘não-homens’ pudessem entrar.

O motivo da iniciativa de Emma foram as ocorrências de estupros e denúncias de abuso sexual da última edição do evento, que aconteceu há alguns dias. No total, foram denunciados quatro estupros e 23 abusos. Mais do que em 2016, quando foram reportados cinco estupros e mais 12 casos de abuso sexual.

Pelas ocorrências, inclusive, chegou a ser anunciado que não haveria edição do Bravalla no ano que vem. Mas, agora, só não haverá festival para os homens. “Ele [o festival] poderia acontecer até que todos os homens aprendam a se comportar direito”, escreveu ainda a sueca Emma Knyckare em seu tweet.

Bravalla ganha edição só para mulheres

O primeiro-ministro sueco, Stefan Lofven, se pronunciou sobre os crimes ocorridos no festival, classificando a situação como “asquerosa”.

A última edição do Bravalla contou com atrações como The Killers, System of a Down e Linkin Park. Já em 2016, um dos grupos que se apresentou no palco do festival foi o Mumford and Sons. Na ocasião, após as ocorrências de estupro e assédio contra mulheres, eles chegaram a anunciar que não voltariam a tocar no evento sem uma garantia da polícia e dos organizadores para combater esses crimes.

No Reino Unido, país dos músicos, cerca de 25 festivais fizeram ações em seus sites coibindo a violência contra a mulher, que também tem feito vítimas nas edições. Por lá, o Reading Festival, por exemplo, registrou dois casos de estupro em 2016.

Fotos: Pontus Lundahl/Reuters/Instagram