Atriz venderá bolsas Chanel para criar instituto

Suzana Pires escreveu carta aberta criticando a postura de Karl Lagerfeld

Publicado em 20/04/2018
Atriz Suzana Pires

Inconformada com as críticas do estilista Karl Lagerfeld ao movimento feminista #MeToo, a atriz Suzana Pires decidiu escrever uma carta aberta criticando a postura do designer da Chanel. "É tempo de valorizar o ser humano e não só o tecido da roupa, a iluminação da foto ou o carão mais blazé. É tempo de retirar os óculos escuros e olhar as pessoas nos olhos. É tempo de observar que nós, mulheres, estamos exaustas de nos defender, diariamente, de terríveis violências em nossos trabalhos. É tempo do senhor ser desse tempo. É tempo do senhor buscar compreender o feminino na sua totalidade para re-significar suas crenças sobre o nosso lugar no mundo", aponta a atriz na carta

Segundo a carta, a atriz venderá as suas bolsas da Chanel para arrecadar dinheiro para um instituto que fomentará o empoderamento feminino. De acordo com uma reportagem do site O Globo, Suzana tem oito bolsas da marca francesa -  juntas estão avaliadas em R$ 200 mil. 

Monsieur Largerfeld, reconheço que, geograficamente, estamos bem longe um do outro; eu, no Brasil, e o senhor, na Europa. Mas, em termos de consumo, nunca fomos tão próximos, pois sou colecionadora das suas bolsas. E, diante das suas declarações, sou obrigada a nunca mais adquirir qualquer produto da marca que o senhor dirige, pois a cada vez que vejo seus produtos no meu armário me sinto traindo não só a mim mesma, mas a tudo o que acredito. E fiquei pensando: 'Suas bolsas custam caro, mas meu respeito às mulheres tem valor inestimável!' Portanto, venderei todas as bolsas que tenho. Com o dinheiro  farei um instituto de apoio às mulheres no mercado de trabalho. Assim, o INSTITUTO DONA DE SI, um grande sonho meu, começará! Faz sentido", disse a atriz em sua carta. 

Curta a página do Bar de Batom no Facebook

Inscreva-se em nosso canal no YouTube

Entenda o caso

Karl Lagerfeld está sendo criticado por ativistas por uma série de comentários controversos divulgados nos últimos meses. Em uma entrevista recente para a Numero Magazine, ele criticou o movimento #MeToo e fez um comentário desprezível sobre o assédio sexual no mundo da moda: "Se você não quer que suas calças sejam puxadas, não se torne uma modelo! Junte-se a um convento, sempre haverá um lugar para você no convento."

Foto: Divulgação