Americana tatua Mulher-Maravilha em cicatriz de mastectomia

Atitude de Stephanie Kelly mostra a força da mulher na luta contra o câncer

Publicado em 18/10/2017
Stephanie Kelly mostra símbolo da Mulher-Maravilha em cicatriz de mastectomia

Neste Outubro Rosa, mês dedicado à conscientização do câncer de mama, a revista de tatuagem Inked lançou seu primeiro especial em homenagem às sobreviventes da doença. A publicação trouxe um ensaio fotográfico que deu voz a 12 mulheres poderosas que contaram as suas dores e vitórias contra a enfermidade. As entrevistadas ainda tinham outra coisa em comum: elas deram um upgrade na autoestima com a ajuda de tatuagens nas cicatrizes de mastectomia.

Recentemente, a americana Stephanie Kelly, de 42 anos, ganhou os noticiários por tomar a mesma atitude. E o mais empoderador: ela tatuou o símbolo da Mulher-Maravilha.

Com histórico de câncer de mama na família, Stephanie descobriu que tinha um gene que poderia levá-la a desenvolver a doença após ver a mãe lutar por duas vezes contra o mal e retirar as duas mamas. Então, em dezembro de 2016 ela passou também pela cirurgia. Em entrevista à revista People, a americana revelou que o procedimento derrubou a sua confiança, mas que ela sabia que seria a melhor decisão a longo prazo.

Eles [os seios] sempre fizeram parte do meu corpo e gostava deles. Gostava do jeito que eles influenciavam meu look e que alimentaram meus quatro filhos. Mas quando comparei esses sentimentos com o medo de ficar doente, precisar de quimioterapia, não ser mais capaz de cuidar dos meus filhos ou algo pior, me pareceu um pequeno sacrifício a escolha”.

A escolha da tatuagem em formato de fênix nas cores do brasão da Mulher-Maravilha foi simbólica. “Sempre amei a Mulher-Maravilha, e comecei a brincar que seria forte e intocável como ela em relação àquilo que me assusta. Meus amigos começaram a trazer cartões, roupas e até uma fantasia da heroína. Isso me ajudou a me sentir mais forte. Era uma maneira de sentir o amor e o apoio e trazer esse sentimento comigo”. 

Ainda segundo Stephanie, a tatuagem nas cicatrizes de mastectomia forneceu a certeza que ela havia se tornado uma mulher única. "Eu sinto que isso me dá ainda mais liberdade para não se importar. Nunca mais vou me parecer com a maioria das mulheres neste mundo, então eu vou me reinstalar em tudo o que eu quiser e tornar meu novo corpo meu", afirmou em entrevista ao Daily Mail

Foto: Divulgação