'50 Brasileiras Incríveis': livro será lançado em outubro

Produzida por mulheres, obra reúne biografias de personalidades femininas

Publicado em 20/09/2017
Livro 50 Brasileiras Incríveis ilustrações

O livro 50 Brasileiras Incríveis para Conhecer Antes de Crescer, produzido somente por mulheres e publicado pela Editora Record, chega às principais livrarias do país neste mês de outubro, de acordo com a autora Débora Thomé, em entrevista ao site Bebê.com.br.

A obra traz informações sobre a vida de personalidades que fizeram história em áreas bastante distintas: esportistas, como a jogadora de futebol Marta, escritoras, como Cecília Meireles, e cantoras, como Elza Soares. São prestigiadas também cientistas, religiosas, políticas, heroínas históricas e artistas.

50 Brasileiras Incríveis Elza Soares arte Rafamon

"A preocupação de contar narrativas de mulheres que muitas vezes ficam escondidas é internacional porque em todos os países conhecemos muito mais os grandes nomes e feitos de homens do que de mulheres", disse Débora Thomé ao portal.

Ainda de acordo com Débora, inicialmente, a faixa etária pensada para o livro foi de 12 anos, mas como muitas mulheres não conhecem essas histórias, ele pode interessar a todas as idades. Na visão dela, os meninos também devem ter acesso ao conteúdo, para descobrir que, assim como há homens heróis e realizadores, há também mulheres heroínas e realizadoras. 

Foram selecionadas 16 ilustradoras e cada uma pôde escolher as personagens que gostariam de ilustrar. Elas fizeram interpretações de grandes nomes utilizando diversas técnicas diferentes. Segundo Débora, na maior parte das vezes elas aproveitaram algum trecho do texto para adaptar o desenho.

50 Brasileiras Incríveis Cecília Meireles arte Juliana Lima

O maior desejo da autora é que as pessoas se emocionem e que o livro atinja seus corações. "Na minha vida toda, não me lembro de ter me reconhecido nos livros de infância, lá para os anos 80. Eles tratavam, na maioria das vezes, de princesas com as quais não me identificava, que não tinham sonhos de voar pelo mundo ou de serem grandes profissionais. Como mãe que sou hoje, fico muito feliz quando minha filha e meu filho dizem que querem ser como Ada Rogato, a grande pilota, como Maria Lenk, a nadadora, ou como Thaisa Storchi, a astrônoma", revelou.

Foto: Reprodução/Facebook